segunda-feira, 25 de abril de 2011

Reflexão





O Pastor 171, a Ovelha Burra e o Bode Ganancioso


O velho pastor chamou em seu escritório o jovem rapaz que lhe auxiliava nos trabalhos. Aquele menino era o seu braço direito e ele queria passar os segredos do seu sucesso, até porque, para dar vôos mais altos e expandir o negócio, quer dizer, a igreja, ele precisaria dividir seus conhecimentos.
- Meu filho, ouve agora as minhas instruções e dá ouvidos às minhas palavras. O que vou te dizer agora e de suma importância para você vencer na vida.
O discípulo achou estranho, mas gostou da confiança que lhe estava sendo imposta.
- Existem dois tipos de pessoas: a ovelha burra e o bode ganancioso. É com este tipo de pessoas que você deverá trabalhar - sentenciou o velho para aquele jovem com olhos arregalados de surpresa.
Enquanto o jovem se ajeitou na poltrona para ouvir melhor, o pastor continuou.
- Para você conseguir sucesso, fama, e dinheiro primeiro você precisa se cercar de umas mulheres mal amadas. Estas cujos maridos são totalmente ausentes, desinteressados, beberrões e que dão mais valor aos amigos do que as esposas. Elas serão fiéis a você e não deixarão que falem mal de você.
O jovem se aconchegou ainda mais na poltrona, coçou o queixo e continuava a olhar fixamente no mestre.
- Vou te falar da ovelha burra. Este tipo de gente não lê a Bíblia e acreditará em tudo o que você falar. Use especialmente textos do Velho Testamento para arrancar o dinheiro delas. E não tenha medo. Seja ousado! Peça muito. E faça parecer que isto é um gesto de dedicação a Deus. Um gesto de fé. Na sua burrice, elas não vão questionar você.
O jovem continuava calado, meio descrente, meio surpreso, mas já vislumbrando o seu futuro.
- A estratégia para com os bodes gananciosos é diferente. Faça parecer que eles sempre irão levar vantagens. Peça dinheiro, bens, carro, casa, jóias... Tudo o que eles tiverem. Mas faça parecer que eles irão ganhar o dobro se derem para Deus, quer dizer, para você. O ganancioso é a vítima mais fácil porque mesmo as vezes sendo inteligente, eles são mais facilmente enganados justamente por causa da ganância
A esta altura o garoto já sorria maliciosamente. Fora fisgado pela fala do mestre.
- Por último, desenvolva a arte de fazer as críticas parecerem perseguição. Mais cedo ou mais tarde alguém vai denunciar ou criticar você. Quando alguém cair em si e sair do seu redil, diga que não obteve o que queria por causa da falta fé. Você precisa fazer tudo parecer um gesto de fé. Assim poderá culpar os críticos de falta de fé.
- Mas pastor... - Tentou dizer algo o jovem aprendiz.
- Ainda não terminei. Viva no luxo. Tenha do bom e do melhor. Tire exemplo das novelas. Já viu pobreza e coisa feia nas novelas? Lá tudo é lindo e maravilhoso. Não tem miséria. O bode ganancioso e a ovelha burra acham que isto é que é sinal da bênção de Deus.
E assim a conversa se estendeu por um logo tempo. Trocaram ainda algumas considerações finais e o mestre despediu seu pupilo. Saindo para casa, após caminhar alguns metros um senhor se dirige ao jovem.
- Moço, um folheto da Palavra de Deus pra você.
O jovem pensou em recusar, mas visto que poderia fazer aquele velho tentar argumentar, aceitou. Continuou seu caminho e antes de jogar o folheto no chão, deu uma olhada no título:
"Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?" É triste mais é a mais pura verdade ou a mais dolorosa realidade. Usam versículos Bíblicos, para justificar os seus erros. Não ajunteis tesouros na terra aonde a traça e a ferrugem corroem, onde o ladrão vem e rouba;mas ajunteis tesouros do céus... Eles ajuntam tesouros até mesmo em Aras, investimentos em cavalos que valem uma fortuna. Deus está ficando farto de tudo isso.



Autor: Pastor Vinícius

PÁSCOA



Imenso tesouro,
É o seu amor.
Tesouro sem equivalente valor
Foi sua dor.


Sua fidelidade é jóia preciosa.
Vale mais que o puro ouro.


Derramou o seu sangue,
Na cruz por amor.


Hoje por amor
Eu sigo a sua luz.
Sua paz me seduz.


Amo-te Jesus!


Hoje tenho certeza,
Que é o seu amor,
Que me conduz.


Pela sua morte de cruz
E porque me redimiu.
Só posso te agradecer meu amigo!


Sei que está comigo,
E que no perigo,
É o meu esconderijo,
Meu seguro e abrigo!


Então obrigada!


Pela sua doce palavra
Que me trouxe e me traz
Alivio e alegria!


Mostrando-me que sou capaz.
Obrigada pela sua paz.


Por tudo que fez e por tudo
Que por mim vai fazer.
Obrigada Meu pai e meu Deus!


Obrigada meu amigo!
Meu senhor e salvador
Jesus Cristo!

FONTE:Poesias Evangelicas

A CABANA


A Cabana, William P. Young


Publicado nos Estados Unidos por uma editora pequena, A cabana se revelou um desses livros raros que, através do entusiasmo e da indicação dos leitores, se torna um fenômeno de público – já são quase dois milhões de exemplares vendidos – e de imprensa.
Durante uma viagem de fim de semana, a filha mais nova de Mack Allen Phillips é raptada e evidências de que ela foi brutalmente assassinada são encontradas numa cabana abandonada.

Após quatro anos vivendo numa tristeza profunda causada pela culpa e pela saudade da menina, Mack recebe um estranho bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o para voltar à cabana onde aconteceu a tragédia.
Apesar de desconfiado, ele vai ao local do crime numa tarde de inverno e adentra passo a passo no cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda o seu destino para sempre.

Em um mundo tão cruel e injusto, A cabana levanta um questionamento atemporal: se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar o nosso sofrimento?
As respostas que Mack encontra vão surpreender você e podem transformar sua vida de forma tão profunda quanto transformou a dele. Você vai querer partilhar este livro com todas as pessoas que ama.

Durante uma viagem que deveria ser repleta de diversão e alegria, uma tragédia marca para sempre a vida da família de Mack Allens: sua filha mais nova, Missy, desaparece misteriosamente. Depois de exaustivas investigações, indícios de que ela teria sido assassinada são encontrados numa velha cabana.

Imerso numa dor profunda e paralisante, Mack entrega-se à Grande Tristeza, um estado de torpor, ausência e raiva que, mesmo após quatro anos do desaparecimento da menina, insiste em não diminuir.

Um dia, porém, ele recebe um estranho bilhete, assinado por Deus, convidando-o para um encontro na cabana abandonada. Cheio de dúvidas, mas procurando um meio de aplacar seu sofrimento, Mack atende ao chamado e volta ao cenário de seu pesadelo.
Chegando lá, sua vida dá uma nova reviravolta. Deus, Jesus e o Espírito Santo estão à sua espera para um “acerto de contas” e, com imensa benevolência, travam com Mack surpreendentes conversas sobre vida, morte, dor, perdão, fé, amor e redenção, fazendo-o compreender alguns dos episódios mais tristes de sua história.

Intenso, sensível e profundamente transformar, este livro vai fazer você refletir sobre o poder de Deus, a grandeza de seu amor por nós e o sentido de todo o sofrimento que precisamos enfrentar ao longo da vida.
Este livro é surpreendente, ele mudou minha forma de pensar em relação certos sentimentos. Eu sempre achei que era impossível perdoar um assassino que arranca bruscamente a vida de uma criança. Sempre achei que assassinos frios como o maníaco do parque ou os Nardone , que tiraram a vida da menina Isabela, ou dos assassinos do menino João Hélio, não deveriam ser perdoados. Sempre achei que eles deveriam ir direto para o corredor da morte. Posso até imaginar como é a dor dos familiares destas crianças. Mas não consigo se quer imaginar no arrependimento de um criminoso destes. Eu sei que Deus tem um plano de Salvação para todos. Até mesmo para estes criminosos. O livro A Cabana trabalha muito no perdão. Com certeza hoje eu procuro tentar, olhar para o ser humano como Deus olha. Mas também não sei se seria capaz de perdoar um assassino de um filho meu. Só mesmo o poder de Deus em nossas vidas, para transformar nossos corações.Espero que A Cabana vire filme e vá logo para as telonas.


Informações Técnicas:
ISBN 9788599296363
EAN 9788599296363
240 páginas
16 x 23 cm

sábado, 23 de abril de 2011

Estão cobrando por sacolas Plasticas


Hoje eu fiquei revoltado ao enfrentar uma enorme fila em um super mercado de Belo Horizonte. Já estava um tanto quanto estressado, pelo corre- corre para conseguir comprar os benditos ovos de Páscoa. Como sempre fiquei assustado com o desespero da humanidade para conseguir comprar algo fútil. O ser humano se comporta nestas datas, como se um ovo de Páscoa fosse um remédio que irá garantir a vida de alguém. As cenas de ganância até parece que a cidade foi destruída por um terremoto, e os seus moradores desesperados buscam armazenar água, comida e remédios. É triste perceber que para a humanidade nascimento de Jesus ou dia da morte de Jesus, tem um significado de ter.. ter..comer..comer. Eu fiquei indignado com a falcatrua dos donos de super mercado. Existe uma proibição que já é uma lei, o uso de sacolas plásticas. Eu acho que se é para preservar o meio ambiente, tudo beleza assino em baixo.
Só que em alguns super mercados eles continuam usando as tais sacolinhas plásticas, é o pior eles agora estão cobrando por elas, de 0,10 á 0,20 por sacola. Como já dizia o Boriz Casoi, este pais tem que ser passado a limpo.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Páscoa Simbolos e significados











Páscoa - Símbolos e Significados


O nome páscoa surgiu a partir da palavra hebraica "pessach" ("passagem"), que para os hebreus significava o fim da escravidão e o início da libertação do povo judeu (marcado pela travessia do Mar Vermelho, que se tinha aberto para "abrir passagem" aos filhos de Israel que Moisés ia conduzir para a Terra Prometida).


Ainda hoje a família judaica se reúne para o "Seder", um jantar especial que é feito em família e dura oito dias. Além do jantar há leituras nas sinagogas.


Para os cristãos, a Páscoa é a passagem de Jesus Cristo da morte para a vida: a Ressurreição. A passagem de Deus entre nós e a nossa passagem para Deus. É considerada a festa das festas, a solenidade das solenidades, e não se celebra dignamente senão na alegria.


Em tempos antigos, no hemisfério norte, a celebração da páscoa era marcada com o fim do inverno e o início da primavera. Tempo em que animais e plantas aparecem novamente. Os pastores e camponeses presenteavam-se uns aos outros com ovos.


OVOS de PÁSCOA
De todos os símbolos, o ovo de páscoa é o mais esperado pelas crianças.


Nas culturas pagãs, o ovo trazia a idéia de começo de vida. Os povos costumavam presentear os amigos com ovos, desejando-lhes boa sorte. Os chineses já costumavam distribuir ovos coloridos entre amigos, na primavera, como referência à renovação da vida.


Existem muitas lendas sobre os ovos. A mais conhecida é a dos persas: eles acreditavam que a terra havia caído de um ovo gigante e, por este motivo, os ovos tornaram-se sagrados.


Os cristãos primitivos do oriente foram os primeiros a dar ovos coloridos na Páscoa simbolizando a ressurreição, o nascimento para uma nova vida. Nos países da Europa costumava-se escrever mensagens e datas nos ovos e doá-los aos amigos. Em outros, como na Alemanha, o costume era presentear as crianças. Na Armênia decoravam ovos ocos com figuras de Jesus, Nossa Senhora e outras figuras religiosas.


Pintar ovos com cores da primavera, para celebrar a páscoa, foi adotado pelos cristãos, nos século XVIII. A igreja doava aos fiéis os ovos bentos.


A substituição dos ovos cozidos e pintados por ovos de chocolate, pode ser justificada pela proibição do consumo de carne animal, por alguns cristãos, no período da quaresma.


A versão mais aceita é a de que o surgimento da indústria do chocolate, em 1830, na Inglaterra, fez o consumo de ovos de chocolate aumentar.


COELHO
O coelho é um mamífero roedor que passa boa parte do tempo comendo. Ele tem pêlo bem fofinho e se alimenta de cenouras e vegetais. O coelho precisa mastigar bem os alimentos, para evitar que seus dentes cresçam sem parar.


Por sua grande fecundidade, o coelho tornou-se o símbolo mais popular da Páscoa. É que ele simboliza a Igreja que, pelo poder de cristo, é fecunda em sua missão de propagar a palavra de Deus a todos os povos.


CORDEIRO
O cordeiro é o símbolo mais antigo da Páscoa, é o símbolo da aliança feita entre deus e o povo judeu na páscoa da antiga lei. No Antigo Testamento, a Páscoa era celebrada com os pães ázimos (sem fermento) e com o sacrifício de um cordeiro como recordação do grande feito de Deus em prol de seu povo: a libertação da escravidão do Egito. Assim o povo de Israel celebrava a libertação e a aliança de Deus com seu povo.


Moisés, escolhido por Deus para libertar o povo judeu da escravidão dos faraós, comemorou a passagem para a liberdade, imolando um cordeiro.


Para os cristãos, o cordeiro é o próprio Jesus, Cordeiro de Deus, que foi sacrificado na cruz pelos nossos pecados, e cujo sangue nos redimiu: "morrendo, destruiu nossa morte, e ressuscitando, restituiu-nos a vida". É a nova Aliança de Deus realizada por Seu Filho, agora não só com um povo, mas com todos os povos.


CÍRIO PASCAL
É uma grande vela que se acende na igreja, no sábado de aleluia. Significa que "Cristo é a luz dos povos".


Nesta vela, estão gravadas as letras do alfabeto grego"alfa" e "ômega", que quer dizer: Deus é princípio e fim. Os algarismos do ano também são gravados no Círio Pascal.


O Círio Pascal simboliza o Cristo que ressurgiu das trevas para iluminar o nosso caminho.


GIRASSOL
O girassol é uma flor de cor amarela, formada por muitas pétalas, de tamanho geralmente grande. Tem esse nome porque está sempre voltado para o sol.


O girassol, como símbolo da páscoa, representa a busca da luz que é Cristo Jesus e, assim como ele segue o astrorei, os cristãos buscam em Cristo o caminho, a verdade e a vida.


PÃO E VINHO
O pão e o vinho, sobretudo na antiguidade, foram a comida e bebida mais comum para muitos povos. Cristo ao instituir a Eucaristia se serviu dos alimentos mais comuns para simbolizar sua presença constante entre e nas pessoas de boa vontade. Assim, o pão e o vinho simbolizam essa aliança eterna do Criador com a sua criatura e sua presença no meio de nós.


Jesus já sabia que seria perseguido, preso e pregado numa cruz. Então, combinou com dois de seus amigos (discípulos), para prepararem a festa da páscoa num lugar seguro.


Quando tudo estava pronto, Jesus e os outros discípulos chegaram para juntos celebrarem a ceia da páscoa. Esta foi a Última Ceia de Jesus.


A instituição da Eucaristia foi feita por Jesus na Última Ceia, quando ofereceu o pão e o vinho aos seus discípulos dizendo: "Tomai e comei, este é o meu corpo... Este é o meu sangue...". O Senhor "instituiu o sacrifício eucarístico do seu Corpo e do seu Sangue para perpetuar assim o Sacrifício da Cruz ao longo dos séculos, até que volte, confiando deste modo à sua amada Esposa, a Igreja, o memorial da sua morte e ressurreição: sacramento de piedade, sinal de unidade, vínculo de caridade, banquete pascal, em que se come Cristo, em que a alma se cumula de graça e nos é dado um penhor da glória futura".


A páscoa judaica lembra a passagem dos judeus pelo mar vermelho, em busca da liberdade.


Hoje, comemoramos a páscoa lembrando a jornada de Jesus: vida, morte e ressurreição.


COLOMBA PASCAL
O bolo em forma de "pomba da paz" significa a vinda do Espírito Santo. Diz a lenda que a tradição surgiu na vila de Pavia (norte da Itália), onde um confeiteiro teria presenteado o rei lombardo Albuíno com a guloseima. O soberano, por sua vez, teria poupado a cidade de uma cruel invasão graças ao agrado.


SINO
Muitas igrejas possuem sinos que ficam suspensos em torres e tocam para anunciar as celebrações.


O sino é um símbolo da páscoa. No domingo de páscoa, tocando festivo, os sinos anunciam com alegria a celebração da ressurreição de cristo.


QUARESMA
Os 40 dias que precedem a Semana Santa são dedicados à preparação para a celebração. Na tradição judaica, havia 40 dias de resguardo do corpo em relação aos excessos, para rememorar os 40 anos passados no deserto.


ÓLEOS SANTOS
Na antiguidade os lutadores e guerreiros se untavam com óleos, pois acreditavam que essas substâncias lhes davam forças. Para nós cristãos, os óleos simbolizam o Espírito Santo, aquele que nos dá força e energia para vivermos o evangelho de Jesus Cristo.

Fonte: Estudos Biblico

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Pânico 4 - O Melhor da Franquia!!


Minhas expectativas foram superadas, o filme é grandioso, manteve a mesma qualidade dos anteriores, chegando a ser o segundo melhor da franquia, perdendo apenas para o original. A direção de Wes Craven é ótima, e o roteiro é muito bom. Mantiveram a mesma base de elenco, com a ótima Courteney Cox e a sensacional Neve Campbell e o Lerdo e divertido David Arquette. Como nos filmes anterior ele só chega após os crimes serem cometidos. Tem suspense susto, e um ótimo requinte de comedia.
A primeira parte do filme é sensacional. E o final como é esperado é surpreendente. Pânico 4 vale apena assistir, tem tudo para agradar os fãs desse grande sucesso. Sem falar que o texto do filme faz varias citações de outros grandes filmes de terror, e uma critica perfeita que eu concordo plenamente, sobre o filme jogos mortal.
Eu fui conferir o filme com meu sobrinho Thales e minha amiga Andreia. Com certeza esta foi à boa do feriadão. Tentamos comprar os ovos de páscoa, mas as filas das lojas de chocolate estavam quilométricas. Optamos em ver o Pânico 4, - Bom demais da conta só.
Sidney Prescott (Neve Campbell), agora autora de um livro de autoajuda, retorna para Woodsboro na última parada de sua turnê para promover o lançamento. Lá, ela reconecta-se com o xerife Dewey (David Arquette) e Gale (Courteney Cox) - agora casados - assim como sua prima Jill (Emma Roberts) e sua tia Kate (Mary McDonnell). Infelizmente, o retorno de Sidney também traz Ghostface de volta, colocando Sidney, Gale e Dewey, junto com Jill, seus amigos e toda a cidade de Woodsboro, em perigo.

Neve Campbell, Courteney Cox e David Arquette está no elenco, que ainda conta com Hayden Panettiere, Rory Culkin, Nico Tortorella, Anthony Anderson, Marielle Jaffe, Adam Brody, Marley Shelton, Mary McDonnell, Alison Brie e Erik Knudsen. As atrizes Anna Paquin ('True Blood'), Kristen Bell ('Quando em Roma'), Shenae Grimes ('90210'), Lucy Hale ('Pretty Little Liars') e Britt Robertson ('Life Unexpected') terão participações especiais. Wes Craven (trilogia 'Pânico') retorna à direção.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Personagem




A noite está fria,
Sinto a mão dos ventos por meus cabelos.
Os olhos da lua refletindo nos meus.
Fico parada em um transe profundo, causado pela magia da escuridão;
Não posso chamar de trevas, nem dizer que estou com medo.
A única presença que sinto é de uma paz imensa,
Que me toma da rotação mórbida do mundo.
Que me chama para o abstrato, que me leva para o invisível
Por uma ponte que liga esses dois mundos:
O perfeito e o meu.

Se queremos mais por que não fazemos,
Pois temos mãos?
Se estamos insatisfeitos por que não mudamos,
Pois temos livre arbítrio?

Seria porque fazer a mudança exige mais de uma pessoa?
Ou seria porque não somos capazes de mudar?

Chegou a hora, eu cansei.
Finalmente olho para trás, olho o que eu fiz.

Junto tudo em uma porção,
E vejo que essa é - essa foi - a vidinha miserável que levei por muito tempo.
A vida que os outros admiram e,
Que hoje, eu repudio.

Porque gastei minhas forças, conseguindo tudo isso;
Agora que tenho, já sem forças, não posso desfrutar de seus prazeres materiais,
Se é que ainda posso falar essa palavra.

Me recupero do transe, não por completo
Pois não sei se um dia conseguirei isso.

Sento no chão, sinto o sereno e o orvalho
a consolarem-me,
Acomodando minhas costas cansadas.
Meus olhos, cobertos pelas pálpebras caídas.

Minhas mãos,
Mapa de minha própria vida.
Meus cabelos, agora já grisalhos.

Traços do tempo, marcados em uma pessoa.

Quando chegamos a esse ponto
Realmente nos perguntamos:

VALEU A PENA?

Ou vale mesmo é o que estou sentindo agora?

Passei anos tentando comprar a felicidade,
E hoje a descubro nas coisas mais simples.
Coisas que por mim passaram várias vezes e,
Eu não notei.

Não notei que a felicidade me acenava.
E hoje,
Tento contar minha vida a ela.
E ela marca hora.

Poema escrito por Vanessa Abreu Oliveira

domingo, 10 de abril de 2011

Reflexão Edwards

Segundo Edwards, "quanto mais a pessoa possui conhecimento racional das coisas divinas, mais oportunidades terá, quando o Espírito for soprado em seu coração, de ver a excelência dessas coisas e sentir a sua doçura". Porém, o objetivo de todos os seus estudos era esse gosto espiritual, não apenas por conhecer a Deus, mas também por se deleitar nele, experimentá-lo e apreciá-lo. Assim, apesar de todo o seu poder intelectual, Edwards não era, de maneira alguma, um acadêmico frio, alheio, neutro e desinteressado.Ele afirmou na sua 64ª Resolução: "Resolvido: Quando encontrar aqueles 'gemidos inexprimíveis' aos quais o apóstolo se refere e aqueles 'suspiros da alma que anseia pelo Senhor' sobre os quais o salmista fala... não me cansarei de buscar de todo coração a expressão dos meus anseios, nem me fatigarei das repetições desse vivo ardor".Em outras palavras, ele estava determinado a cultivar a sua paixão por Deus e decidido a cultivar o conhecimento de Deus. Esforçava-se por avançar de acordo com seus limites físicos não apenas a fim de encontrar a verdade, mas também, de obter mais graça. Sua 30 Resolução diz: "Resolvido: Empenhar-me a cada semana para ser elevado na religião e para exercitar a graça de maneira superior à da semana anterior".E, para Edwards, esse progresso era de caráter extremamente prático. Ele dísse à sua congregação o que buscava:Não procurem crescer em conhecimento visando principalmente aos elogios e à capacidade de competir com outros; antes, busquem esse crescimento para o bem de sua alma, e com o propósito de colocá-lo em prática... Apliquem o conhecimento que possuem. Esse é o caminho para aprender ainda mais ... [de acordo com o Salmo 119.100] "Sou mais prudente que os idosos, porque guardo os teus preceitos".O objetivo maior de todo estudo - de toda teologia - é um coração dedicado a Deus e uma vida de santidade. O objetivo maior de todo o trabalho de Edwards era a glória de Deus. Eis a coisa mais importante que aprendi com Edwards, a tônica deste livro: Deus é glorificado ao máximo não apenas ao ser conhecido, não apenas ao ser respeitosamente obedecido, mas ao ser desfrutado no conhecimento e na obediência.Deus fez o mundo a fim de poder transmitir a sua glória, e fez as criaturas a fim de poderem receber essa glória, não apenas na mente, mas também no coração. Aquele que dá testemunho de ter uma idéia da glória de Deus [não] glorifica a Deus tanto quanto aquele que dá testemunho de que aprova essa glória e se deleita nela.Eis, portanto, a última e mais importante exortação da vida e obra de Jonathan Edwards para nós: em toda a nossa vida, estudo e ministério, procuremos glorificar a Deus ao nos deleitar nele acima de todas as coisas. Esforcemo-nos para saber no mais profundo de nosso ser que a agraça [do Senhor] é melhor do que a vida" (SI 63.3). Encontremos, também, a capacidade de nos libertar deste mundo para exaltar a Deus e de ser transformados em servos mais radicais e sacrificais do bem na terra - para que os homens possam ver nossas boas obras e se juntar a nós na glorificação de Deus ao usufruí-lo para sempre.Deleitar-se [em Deus] é a única alegria capaz de satisfazer a alma. Ir para o céu e desfrutar o Senhor de modo pleno é infinitamente melhor do que as coisas mais agradáveis aqui da terra. Pais e mães, maridos, esposas ou filhos, ou, ainda, a companhia de amigos terrenos não passam de sombras mas Deus é a substância. Essas coisas são apenas raios dispersos; Deus é o Sol. Elas são apenas córregos; Deus é o oceano.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Ouvindo a Voz de Deus.


Eram aproximadamente 22:00 horas quando
um jovem começou a se dirigir para casa.
Sentado no seu carro, ele
começou a pedir:
- 'Deus! Se ainda falas com as pessoas, fale
comigo.
Eu irei ouvi-lo.
Farei tudo para obdecê-lo'
Enquanto
dirigia pela rua principal da cidade, ele teve um pensamento muito
estranho:
- 'Pare e compre um galão de leite'.
Ele balançou a
cabeça e falou alto:
- 'Deus? É o Senhor?'.
Ele não obteve
resposta e continuou dirigindo-se para casa.
Porém, novamente, surgiu
o pensamento:
- 'Compre um galão de leite'.
'Muito bem, Deus! No
caso de ser o Senhor, eu comprarei o leite'.
Isso não parece ser um
teste de obediência muito difícil...
Ele poderia também usar o leite.
O
jovem parou, comprou o leite e reiniciou o caminho de casa.
Quando
ele passava pela sétima rua, novamente ele sentiu um pedido:
- 'Vire
naquela rua'.
Isso é loucura...
- pensou
- e, passou direto
pelo retorno.
Novamente ele sentiu que deveria ter virado na sétima
rua.
No retorno seguinte, ele virou e dirigiu-se pela sétima rua.
Meio
brincalão ele falou alto
- 'Muito bem, Deus. Eu farei'.
Ele
passou por algumas quadras quando de repente sentiu que devia parar.
Ele
brecou e olhou em volta.
Era uma área mista de comércio e
residência.
Não era a melhor área, mas também não era a pior da
vizinhança.
Os estabelecimentos estavam fechados e a maioria das
casas estavam
escuras, como se as pessoas já tivessem ido dormir,
exceto uma do outro
lado que estava acesa.
Novamente,
ele sentiu algo:
- 'Vá e dê o leite para as pessoas que estão
naquela casa do outro lado da rua'.
O jovem olhou a casa.
Ele
começou a abrir a porta mas voltou a sentar-se. -' Senhor, isso é
loucura.
Como posso ir para uma casa estranha no meio da noite?'.
Mais
uma vez, ele sentiu que deveria ir e dar o leite. Finalmente, ele abriu
a porta...
- ' Muito Bem, Deus, se é o Senhor, eu irei e entregarei
o leite àquelas pessoas.
Se o Senhor quer que eu pareça uma pessoa
louca, muito bem.
Eu quero ser obediente.
Acho que isso vai
contar para alguma coisa, contudo, se eles não responderem
imediatamente,
eu vou embora daqui'.
Ele atravessou a rua e tocou a campainha.
Ele
pôde ouvir um barulho vindo de dentro, parecido com o choro de uma
criança.
A voz de um homem soou alto:
- 'Quem está aí? O que você
quer?'
A porta abriu-se antes que o jovem pudesse fugir.
Em pé,
estava um homem vestido de jeans e camiseta.
Ele tinha um olhar
estranho e não parecia feliz em ver um desconhecido em pe
na sua
soleira.
- 'O que é?'.
O jovem entregou-lhe o galão de leite.
-
'Comprei isto para vocês'.
O homem pegou o leite e correu para
dentrofalando alto.
Depois, uma mulher passou pelo corredor
carregando o leite e foi para a cozinha.
O homem a seguia segurando
nos braços uma criança que chorava.
Lágrimas corriam pela face do
homem e, ele começou a falar, meio soluçando:
- 'Nós oramos.
Tínhamos
muitas contas para pagar este mês e o nosso dinheiro havia acabado.
Não
tínhamos mais leite para o nosso bebê.
Apenas orei e pedi a Deus que
me mostrasse uma maneira de conseguir leite.
Sua esposa gritou lá
da cozinha:
- 'Pedi a Deus para mandar um anjo com um pouco de
leite...
Você é um anjo?'
O jovem pegou a sua carteira e tirou
todo dinheiro que havia nela e
colocou-o na mão do homem.
Ele
voltou-se e foi para o carro, enquanto as lágrimas corriam pela sua
face.
Ele teve certeza que Deus ainda responde aos verdadeiros
pedidos.

PÃO DIARIO

Há lugar bom de se viver. Nos seus pés. Em Um mundo de rejeição e complexos, existe uma oportunidade em um local que sempre tem um lugar, ...