quarta-feira, 24 de abril de 2013

Educação e Limites



Somos as primeiras gerações de pais decididos a não repetir com os filhos, os erros de nossos progenitores…
Com o esforço de abolirmos os abusos do passado, somos os pais mais dedicados e compreensivos. Mas, por outro lado, os mais bobos e inseguros que já houve na história.
O grave é que estamos lidando com crianças mais “espertas” do que nós, ousadas, e mais “poderosas” que nunca!
Parece que, em nossa tentativa de sermos os pais que queríamos ser, passamos de um extremo ao outro. Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais… e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos.
(…)
E, o que é pior… somos os últimos que respeitamos nossos pais, às vezes até sem escolhas… e somos os primeiros que aceitamos que nossos filhos nos faltem com o respeito.
Somos a ultima geração de filhos que obedecem aos seus pais, e somos a primeira geração de pais que obedecem aos seus filhos.
Somos a ultima geração de filhos que tivemos medo dos pais e os primeiros que tememos os filhos.
Somos os últimos que cresceram sob o mando dos pais.
E os primeiros sob o jugo dos filhos.
À medida que o permissível substituiu o autoritarismo, os termos das relações familiares mudou de forma radical para o bem e para o mal.
Com efeito, antes se considerava um bom pai, aquele cujos filhos se comportavam bem, obedeciam suas ordens, e os tratavam com o devido respeito. E bons filhos, eram as crianças que veneravam seus pais.
Mas muito coisa mudou! Hoje, os bons pais são aqueles que conseguem que seus filhos os amem, ainda que pouco o respeitem. E são os filhos, quem agora, esperam respeito de seus pais, pretendendo de tal maneira que respeitem suas idéias, seus gostos, suas preferências e sua forma de agir e viver.
E que, além disso, que patrocinem no que necessitarem para tal fim.
Quer dizer os papéis se inverteram.
(…)
Os filhos precisam perceber que durante a infância, estamos à frente de suas vidas, como líderes capazes de sujeitá-los quando não os podemos conter e de guiá-los, enquanto não sabem para onde vão..
É assim que evitaremos que as novas gerações se afoguem no descontrole e tédio no qual está afundando uma sociedade que parece ir à deriva, sem parâmetros nem destino.
Se o autoritarismo suplanta, o permissível sufoca.
Apenas uma atitude firme, respeitosa, vai permitir que os filhos confiem em nossa idoneidade para governar suas vidas enquanto forem menores.
Porque vamos à frente liderando–os,
e não atrás, carregando-os e rendidos às suas vontades.
Educar é um gesto mergulhado em amor, mas embazado no que e justo e correto.
Os limites abrigam o indivíduo.
Com amor ilimitado e profundo respeito.
"Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele." (Pv 22:6)
Texto usado para minha palestra


Sobre educação Cristã infatil  no Istituto Teológico Quadrangular Sta Maria

sábado, 13 de abril de 2013

ASSIM SOMOS NÓS...





"Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas."
Pérolas são produtos da dor; resultados da entrada de uma substância estranha ou indesejável no interior da ostra, como um parasita ou grão de areia. Na parte interna da concha é encontrada uma substância lustrosa chamada nácar. Quando um grão de areia a penetra, ás células do nácar começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra. Como resultado, uma linda pérola vai se formando. Uma ostra que não foi ferida, de modo algum produz pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada.
O mesmo pode acontecer conosco. Se você já sentiu ferido pelas palavras rudes de alguém? Já foi acusado de ter dito coisas que não disse? Suas idéias já foram rejeitadas ou mal interpretadas? Você já sofreu o duro golpe do preconceito? Já recebeu o troco da indiferença?
Então, produza uma pérola !
Cubra suas mágoas com várias camadas de AMOR.
Infelizmente, são poucas as pessoas que se interessam por esse tipo de movimento. A maioria aprende apenas a cultivar ressentimentos, mágoas, deixando as feridas abertas e alimentando-as com vários tipos de sentimentos pequenos e, portanto, não permitindo que cicatrizem.
Assim, na prática, o que vemos são muitas "Ostras Vazias", não porque não tenham sido feridas, mas porque não souberam perdoar, compreender e transformar a dor em amor. Um sorriso, um olhar, um gesto, na maioria das vezes, vale mais do que mil palavras!
 Perolas do Face

Distrações que nos roubam a visita de Jesus




“E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa. E tinha esta uma irmã, chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços e, aproximando-se, disse: Senhor, não te importas que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe, pois, que me ajude. E, respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” ( Lucas 10:38-42 )
Certa vez Jesus resolveu fazer uma visita a uma mulher. O nome da mulher era Marta e ela tinha uma irmã chamada Maria. Maria ouvia atentamente a Palavra de Deus:
“E tinha esta uma irmã, chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra”
( Lucas 10:39 )
Porém, Marta “andava distraída em muitos serviços…” ( Lucas 10:40 )
A distração com muitos serviços estava roubando de Marta a Palavra e as bênçãos de Deus. Marta, por causa da sua distração, não estava recebendo a palavra que perdoa, salva, cura, liberta e dá vitória.
Precisamos observar que Marta não estava distraída com apenas um serviço, mas com vários serviços.
Será que hoje nós não andamos distraídos não apenas com o nosso trabalho diário, mas também com outros serviços fora do horário de trabalho? Existem pessoas que têm não apenas um serviço, mas dois ou três ou vários serviços. Tais pessoas além de trabalhar de dia, o que é o correto, trabalham também de noite e de madrugada. Uma coisa é a pessoa ter que trabalhar noutro serviço além do trabalho diurno porque ganha pouco e precisa complementar a renda.
Outra coisa totalmente diferente é quando a pessoa tem uma caminhonete S-10 por exemplo, e arruma outros serviços à noite e de madrugada pra comprar uma caminhonete Hillux. Essa pessoa, nesse caso, trabalha de noite e de madrugada para ganhar mais por ganhar mais, isto é, por consumismo e ganância.
Infelizmente, Marta, por causa da sua distração em vários serviços, estava perdendo a visita de Jesus na sua casa e na sua vida. Será que nós também não temos perdido a visita de Jesus em nossa casa e em nossas vidas por causa de distrações, como:
- Trabalhos Extras
- Falta de planejamento do tempo
- Novelas
- Futebol
- Internet ( Facebook )
Será que essas coisas não estão roubando a presença e a visita de Jesus em nossas casas e em nossas vidas?
Precisamos separar um tempo diário para Deus, fazer o nosso devocional a Ele.
Precisamos nos unir ao Senhor sem distração alguma, como está escrito:
“E digo isso para proveito vosso; não para vos enlaçar, mas para o que é decente e conveniente, para vos unirdes ao Senhor, sem distração alguma” ( 1 Coríntios 7:35 )
“E olhai por vós, para que não aconteça que o vosso coração se carregue de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia. Porque virá como um laço sobre todos os que habitam na face de toda a terra. Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas essas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do Homem” ( Lucas 21:34 36 )
Nesses últimos dias, as pessoas têm andado muito distraídas com a ilusão das riquezas, com os pecados da glutonaria, da bebedice e outros pecados e com as preocupações da vida. Tais pessoas, se não acordarem das suas distrações a tempo, serão pegas de surpresa naquele grande dia do arrebatamento.



 FONTE: Net

quinta-feira, 11 de abril de 2013

JULGAMENTO E EXECUÇÃO




Vários aspectos do julgamento de Jesus são registrados nos Quatro Evangelhos e é sem a dúvida o julgamento mais significativo que alguma vez tenha ocorrido na história do mundo. O Sinédrio era o corpo legal que estava composto pelos Saduceus, Fariseus e autoridades de Israel. Eles instalaram um tribunal em uma sessão secreta a noite com provas inventadas e contraditórias contra nosso Senhor Jesus, o Verdadeiro Messias que Deus tinha enviado no meio deles.

O Mestre foi preso e levado rapidamente para comparecer perante Anás, que era sogro de Caifás, o sumo sacerdote naquele ano (João 18:12-14). Depois foi conduzido a Caifás onde os principais e o concilio inteiro buscaram testemunhos falsos contra Jesus (Mateus 26:57-68). Desde ali, foi levado perante a assembléia dos principais e escribas que lhe trouxeram perante o concilio do Sinédrio onde exigiram sua morte Lucas 22:66-71.

Quando os líderes judeus religiosos tinham opinado que nosso Senhor era culpado, então foi levado perante Pilatos, o governador romano da Judéia, para executar a sentença (Lucas 23:1-7). No entanto, Pilatos não podia encontrar nenhuma culpa em Jesus e o remeteu à jurisdição de Herodes Antipas que era o chefe desse lugar ou Tetrarca. Herodes tinha escutado de Jesus e seus poderes para realizar milagres e estava ansioso de vê-lo, mas depois o enviou de regresso a Pilatos para que seja executado (Lucas 23:8-11). Pilatos outra vez convocou aos principais que diziam que Jesus era digno de morte. “Mas toda a multidão clamou à uma, dizendo: Fora daqui com este e solta-nos Barrabás. Barrabás fora lançado na prisão por causa de uma sedição feita na cidade e de um homicídio. Falou, pois, outra vez Pilatos, querendo soltar a Jesus. Mas eles clamavam em contrário, dizendo: Crucifica-o! Crucifica-o!” —Lucas 23:18-21

Eles coroaram este Rei de amor com espinhos, cuspiram nele e debocharam. Fizeram-lhe carregar sua própria cruz, finalmente foi fincado sobre ela para morrer. Sobre sua cabeça, por instruções de Pilatos, eles colocaram a inscrição: “Este é O Rei dos Judeus.” escrito em grego, latim e hebraico (Lucas 23:38). Pilatos quis que o mundo soubesse que este homem excepcional morria porque os judeus o odiavam e o tinham rejeitado como seu rei. Mas desde o ponto de vista de Jesus, ele morria como o Salvador do mundo.

Fonte: Perolas do Face

domingo, 7 de abril de 2013

Dia Nacional do Jornalista


O Dia do Jornalista é comemorado no Brasil no dia 7 de abril, em homenagem a João Batista Líbero Badaró, médico e jornalista, brasileiro de origem italiana, que morreu assassinado por inimigos políticos, em São Paulo, no dia 7 de abril de 1830, durante uma passeata de estudantes em comemoração aos ideais libertários da Revolução Francesa.
Profissional incansável, dinâmico, disposto, atento, inteligente, a serviço da notícia, da informação e dos fatos.
Profissão diariamente trabalhada com dedicação, determinação, vontade, compromisso em cumprir com o papel devidamente pautado na ética, no trabalho árduo e diário e principalmente, pautado na responsabilidade com a notícia e com tudo aquilo que divulgar.
O jornalista tem uma função social muito importante dentro da sociedade ou de uma comunidade, informa, promove a reflexão, a crítica e incita debates. Difundindo idéias, os fatos e informações com clareza, rapidez e precisão, a ponto de sintetizar em apenas uma frase tudo aquilo que quer falar.
Por vezes denunciando, auxiliando a comunidade e assim, colaborando para uma sociedade mais justa e democrática. E dessa forma não podemos desconsiderar o seu importante papel, pois sem dúvida alguma, possui uma admirável influência sobre todos nós, seja agindo direta ou indiretamente.
PARABÉNS a todos os Jornalistas do Brasil Que DEUS abençoe o caminho de cada profissional…

Fonte: Blog do Zé Dudu

Novembro Azul!!