Expresso Adoração

terça-feira, 21 de julho de 2015

A vida é um rio...


"Liberdade significa responsabilidade, é por isso que tanta gente tem medo dela." (George Bernard Shaw)
Imagine que a vida é um rio, que de um lado da margem está você e do outro, os seus sonhos.
Muitas pessoas conseguem enxergar facilmente a margem do outro lado do rio porque colocam seus sonhos em local de fácil alcance, onde podem avistar sempre. Outros no entanto,
 colocam seus sonhos tão longe de suas vistas, desejam coisas tão malucas, que nem com o binóculo mais potente conseguem enxergar o outro lado.
Para chegar aos sonhos, a vida nos oferece um barco chamado

 "esperança" com dois remos. Um dos remos chama-se "fé",

 o outro "ação". Muitos possuem tanta fé que usam apenas
 esse remo para alcançar seus objetivos e o barco da esperança não sai do lugar, fica rodando em volta sem direção e cada vez mais longe do destino. Outros, ansiosos e truculentos,
 acreditando em suas forças, pegam apenas o remo "ação"
 e também não sem do lugar, remam, remam e remam até ficarem cansados e desistirem dos seus sonhos por julgarem impossíveis atravessarem o rio da vida.
Normalmente, têm sempre uma desculpa para seu fracasso, e quase sempre é culpa de outras pessoas ou das condições do Universo.
Aqueles que são humildes o bastante para aprender a lição, entram no barco da esperança e pegam os dois remos, unem a fé com a ação e atravessam o rio várias vezes na sua vida, porque aprenderam que não existe conquista apenas pela força e nem vitória apenas com a fé.
Pegue seu barco (esperança), junte os remos(fé + ação) e atravesse o rio da vida com mais tranquilidade. Eu, acredito em você!

TEXTO DE: Paulo Roberto Gaefke

É errado pedir a Deus para morrer?

Elias teve medo e fugiu para salvar a vida. Em Berseba de Judá ele deixou o seu servo e entrou no deserto, caminhando um dia. Chegou a um pé de giesta, sentou-se debaixo dele e orou pedindo a morte."Já tive o bastante, Senhor. Tira a minha vida, não sou melhor do que os meus antepassados. (1 Reis 19:3-4)

Você já chegou no limite das suas forças físicas e emocionais, a ponto de pedir a Deus para morrer? Elias foi um grande homem de Deus, muito usado pelo Espírito Santo, mas nós vimos acima que em algum momento de sua jornada, ele orou pedindo a morte. Este é um exemplo de que por mais que alguém seja espiritual, por algum motivo, ela pode perder a vontade de viver. Sei que é difícil entender como alguém pode desejar a morte ou até mesmo se suicidar, mas infelizmente isso acontece com grande frequência em todo o mundo. A falta de comunhão com Deus ou o fato da pessoa achar que não há mais saída para seu problema, pode fazer com que ela queira acabar com o sofrimento por si mesma. Infelizmente a maioria de nós, conhecemos ou ouvimos falar de alguém que se matou por não suportar as pressões da vida. Isso é muito triste e precisamos buscar forças sempre em Deus, pois Ele é o único que pode nos dar o verdadeiro sentido na vida.

Quando alguém chega neste nível de depressão, a tendência é se isolar de todos e abrir mão do chamado que Deus tem para ela. Note que Elias ,antes de ir para o deserto, ele deixou o seu discípulo em Berseba. Certamente ele não queria se abrir com ele e mostrar sua frustração e o desgaste que havia em seu interior! O profeta escolheu ficar longe de tudo e até de Deus. O que nos dá força e motivação na vida cristã, é a paz e alegria que vem do Senhor. Mas se Satanás conseguir roubá-la, os conflitos serão mais fortes do que você.

Quando escondemos nossos sentimentos para que ninguém saiba de nada, estamos dizendo: "Vou carregar essa dor sozinho!" É claro que nesses momentos,o inimigo jamais te lembrará sobre a passagem em que Jesus convida a todos para descansarem nele: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve." (Mateus 11:28) Talvez você esteja precisando deste descanso hoje. Por isso veja o que aconteceu após Elias ter pedido a morte:

"Depois se deitou debaixo da árvore e dormiu. De repente um anjo tocou nele e disse: "Levante-se e coma". Elias olhou ao redor e ali, junto à sua cabeça, havia um pão assado sobre brasas quentes e um jarro de água. Ele comeu, bebeu e deitou-se de novo." (1 Reis 19:5-6)

Veja que uma sacudida é necessária da parte de Deus para te acordar! Esse é o primeiro desafio que uma pessoa depressiva deve fazer para sair dessa armadilha! Elias acordou e comeu. Porém, logo em seguida ele caiu no sono depressivo novamente. Mas o anjo não desistiu dele e o acordou pela segunda vez. Da mesma forma eu creio que Deus acredita nos Seus filhos que estão nessa situação! Que você possa acordar da sua sonolência, que veio pelas frustrações ou feridas causadas por pessoas perto de você! Você pode até dizer como Elias: "Não sou melhor do que meus pais!" mas tome uma atitude de se levantar novamente assim como Elias! Quando o anjo o chamou, ele poderia ter escolhido ficar deitado, mas ele decidiu levantar-se. Eu já vi pessoas recusarem ajuda e mesmo que um anjo aparecesse na sua frente, elas mandariam ele embora sem nenhuma consideração! Por isso valorize as pessoas que Deus te manda para você acordar desse sono terrível. Basta reconhecer que Jesus pode usá-las para trazer a Palavra de Deus e uma injeção de ânimo na sua vida através da oração. Veja o que acontece em seguida:

"O anjo do Senhor voltou, tocou nele e disse: "Levante-se e coma, pois a sua viagem será muito longa". (1 Reis 19:7)

Perceba que agora o anjo não dá uma sugestão para Elias, mas sim uma ordem! Se você quer continuar nessa caminhada cristã tão cheia de obstáculos, você deverá comer o pão da Palavra que vem de Deus e prosseguir! Creio que muitas promessas de Deus ainda irão se cumprir na sua vida e há muito chão pela frente! Por isso diga em voz alta, aí mesmo onde você está:


"Não morrerei, mas vivo ficarei para anunciar os feitos do Senhor." (Salmos 118:16)

"Então Elias se levantou, comeu e bebeu. Fortalecido com aquela comida, viajou quarenta dias e quarenta noites, até que chegou a Horebe, o monte de Deus." (1 Reis 19:8)

O segredo da sua força está na Palavra de Deus! Qual homem poderia andar por 40 dias no deserto sem parar? Nenhum! Somente aqueles que aceitam a ajuda de Deus por meio de pessoas cristãs, como seu pastor e irmãos na fé, trazendo palavras de encorajamento, é que poderão sobreviver e continuar sua caminhada renovados com o combustível espiritual. Por isso, se você tem pedido a morte, saiba que você não é a única pessoa e Deus entende a sua dor. Outros personagens da Bíblia, além de Elias, também quiseram morrer, mas Deus os queria vivos, e hoje vemos o quanto Ele os abençoou depois destes momentos difíceis. Um exemplo de alguém sofreu muito foi Jó. Este homem sofreu tanto, teve muitas perdas na vida e por isso pediu para morrer, mas ele sabia que somente Deus poderia dar e tirar uma vida. Veja:

"Quando penso que a minha cama me consolará e que o meu leito aliviará a minha queixa, mesmo aí me assustas com sonhos e me aterrorizas com visões. É melhor ser estrangulado e morrer do que sofrer assim. Sinto desprezo pela minha vida! Não vou viver para sempre, deixa-me, pois os meus dias não têm sentido." (Jó 7:13-16)

Mesmo com tanto sofrimento, decepção e angústia, Jó não tentou tirar a própria vida, pois sabia que ela não pertencia a ele, mas a Deus. Veja o que acontece quando sua própria mulher sugere que a melhor saída para ele seria suicidar-se:

"Então Jó apanhou um caco de louça e com ele se raspava, sentado entre as cinzas. Então sua mulher lhe disse: “Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Deus, e morra!” Ele respondeu: “Você fala como uma insensata. Aceitaremos o bem dado por Deus, e não o mal?” Em tudo isso Jó não pecou com seus lábios." (Jó 2:7-10)

A mulher de Jó insistia para que ele amaldiçoasse a Deus e morresse (obviamente suicidando-se), mas ele deixou claro que aceitava de Deus tanto o mal que o afligia, quanto o bem em tempos de bonança. Devemos lembrar que Jesus, mesmo vivendo tantos sofrimentos, nunca deixou de crer nos propósitos de Deus. Ele não viveu para si mesmo e nem morreu para si mesmo. É por isso que hoje temos as bênçãos de Deus e a nossa salvação - porque ele não desistiu. Jesus deixou o legado como exemplo para nós, de dar a sua vida por amor aos outros.

Deus tem um propósito na vida e na morte dos Seus filhos, por isso não cabe a nós decidir. Nossa visão é muito limitada para enxergarmos o que Ele está fazendo através de nós e dos nossos sofrimentos. Tenho certeza que nem Jó ou Elias imaginariam em seus dias, o quanto suas vidas e sofrimentos iriam ajudar milhões de pessoas ao longo da história da humanidade. Que Deus renove suas forças e te dê um novo fôlego de vida!



Fonte: www.pastorantoniojunior.com

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Amar é uma decisão

Um homem foi visitar um sábio conselheiro e disse-lhe que estava passando por muitas dificuldades em seu casamento. Falou-lhe que já não amava sua mulher e que pensava em separação...
O sábio escutou-o, olhou-o nos olhos e disse-lhe: ame-a!
Mas já não sinto nada por ela! Retrucou o homem.
Ame-a! Disse-lhe novamente o sábio.
Diante do desconcerto do homem, depois de um breve silêncio, o sábio lhe disse o seguinte: "amar é uma decisão; é dedicação e entrega; é ação...
Portanto, para amar é preciso apenas tomar uma decisão.
Quando você se decide a cultivar um jardim, você sabe que é necessário preparar o terreno, semear, regar, esperar a germinação e a floração.
Você sabe que haverá pragas, ervas daninhas, tempos de seca ou de excesso de chuva, mas se você está decidido a ter um belo jardim, jamais desistirá, por maiores que sejam as dificuldades.
Assim também acontece no campo do amor. É preciso dedicação, cuidado, espera.
Portanto, se quiser cultivar as flores da afeição, dedique-se. Ame seu par, aceite-o, valorize-o, respeite-o, dê afeto e ternura, admire-o e compreenda-o...
Isso é tudo...
Apenas ame!
***
O amor é lei da vida. Se não houvesse amor nada faria sentido.
Busquemos, então, meditar sobre o que temos e o que não temos, sobre quem somos e sobre quem não somos, a respeito do que fazemos e do que não fazemos, guardando a convicção de que sem a presença do amor naquilo que temos, no que fazemos e no que somos, estaremos imensamente pobres, profundamente carentes, desvitalizados.
A inteligência sem amor, nos faz perversos.
A justiça sem amor, nos faz insensíveis e vingativos.
A diplomacia sem amor, nos faz hipócritas.
O êxito sem amor, nos faz arrogantes.
A riqueza sem amor, nos faz avaros.
A pobreza sem amor, nos faz orgulhosos.
A beleza sem amor, nos faz ridículos.
A autoridade sem amor, nos faz tiranos.
O trabalho sem amor, nos faz escravos.
A simplicidade sem amor, nos deprecia.
A oração sem amor, nos faz calculistas.
A lei sem amor, nos escraviza.
A política sem amor, nos faz egoístas.
A fé sem amor nos torna fanáticos.
A cruz sem amor se converte em tortura.
A vida sem amor... Bem, sem amor a vida não tem sentido...
***
As flores que espalham aromas nos canteiros são mensageiras do amor de Deus falando nos jardins...
Os passarinhos que pipilam nos prados e cantam nos ramos são a presença do amor de Deus transparecendo nos ninhos...
As ondas gigantescas que se arrebentam nas praias, mostram o amor de Deus engrandecendo-se no mar, tanto quanto o filete transparente de águas cantantes, que beija a face da rocha, decanta o amor de Deus, jorrando suave pela fenda singela.
A fera que ruge na selva, quanto os astros que giram na amplidão, enaltecem o amor divino, enquanto falam dessa cadeia que une os seres e as coisas da casa de Deus.
A criança que sorri, feliz, quanto aquela que chora, no regaço materno ou num leito hospitalar, igualmente, refletem o amor distendendo esperança, conferindo oportunidades aos espíritos, como dádivas de Deus.
O homem sábio, pelos conhecimentos que lhe robustecem o cérebro, e aquele que se enobrece no trabalho do bem, pela luz que lhe emana do íntimo, apresentam o amor de Deus, alevantando a vida.
Essas e outras facetas do amor, é que fazem com que a vida tenha sentido...

MÁGOA SEM RAZÃO


 Era uma vez um rapaz que ia muito mal na escola. Suas notas e seu comportamento eram uma decepção para seus pais que, como a maioria, sonhavam em vê-lo formado e bem sucedido. Um belo dia, o pai lhe propôs um acordo: se você, meu filho, mudar seu comportamento, se dedicar aos estudos e conseguir entrar para a Universidade de Medicina, lhe darei um carro de presente.
Por causa do carro o rapaz mudou totalmente de atitude. Passou a estudar como nunca e a se comportar muito bem. O pai estava feliz, mas tinha uma preocupação: sabia que a mudança do rapaz não era fruto de uma conversão sincera, mas apenas pelo interesse em obter o automóvel, e isso era ruim!
Assim, o grande dia chegou. Fora aprovado para o curso de medicina. Como havia prometido, o pai convidou a família e os amigos para uma festa de comemoração. O rapaz tinha por certo que na festa o pai lhe daria o automóvel. Mas, quando pediu a palavra, o pai elogiou o resultado obtido pelo filho e lhe passou as mãos uma caixa de presente. Crendo que ali estavam as chaves do carro, o rapaz abriu emocionado o pacote. Mas para sua surpresa era uma bíblia. O rapaz, visivelmente decepcionado, nada disse. E a partir daquele dia o silêncio e a distância separavam pai e filho. O jovem se sentia traído e agora lutava para ser independente. Deixou a casa dos pais e foi morar no campus da universidade. Raramente mandava notícias para a família.
O tempo passou, ele se formou, conseguiu um emprego em um bom hospital e se esqueceu completamente do pai. Todas as tentativas do pai para reatar os laços afetivos foram em vão. Os anos rolaram até que um dia o velho, muito triste com a situação, adoeceu e não resistiu, vindo a falecer. No enterro a mãe entregou ao filho indiferente, a bíblia que tinha sido o último presente do pai e que havia sido deixada para trás. De volta a sua casa o rapaz, que nunca perdoara o pai, ao colocar o livro numa estante notou que entre as suas páginas havia um envelope.

Abriu-o e encontrou uma carta, e dentro dela, um cheque. A carta dizia: "meu querido filho, sei o quanto você deseja ter um carro. Eu prometi e aqui está o cheque para que você escolha aquele carro que mais lhe agradar. No entanto, fiz questão de lhe dar um presente ainda melhor: a bíblia, pois nela aprenderá o amor de Deus pelas suas criaturas e a fazer o bem, não pelo prazer da recompensa, mas pela gratidão e pelo dever de consciência". Corroído de remorso, o filho caiu em profundo pranto... Pense nisso!
O perdão incondicional é uma das mais sublimes virtudes que os seres podem almejar. Quem perdoa sempre, não corre o risco de arrepender-se mais tarde por ter alimentado tanto tempo uma mágoa sem razão. Por isso é que devemos ter sempre em mente a recomendação do mestre Jesus: "perdoar setenta vezes sete", isto é: perdoar sempre. Pense nisso!

Autor Desconhecido