quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

A Faxina


A Faxina

Estava precisando fazer uma faxina em mim...
Jogar alguns pensamentos indesejáveis fora

Lavar alguns tesouros que andavam meio que enferrujados...
Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.
Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões...
Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei...
Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li...
Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas
E as coloquei num cantinho, bem arrumadinhas.

Fiquei sem paciência!
Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão:
Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste...
Mas, lá também havia outras coisas... e belas!
Um passarinho cantando na minha janela
Aquela lua cor de prata, o pôr-do-sol...

Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças...
Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.
Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou.
Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmo ou se mando para o lixão.
Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante:
O amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos...

Como foi bom relembrar tudo aquilo!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as a mostra, para não perdê-las de vista.
Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurado bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar e de recomeçar!

Deus é Maravilhoso


A cada dia que passa me surpreendo um pouco mais com
a fidelidade de Deus. A capacidade que Deus tem de mudar
o mundo por causa de uma vida...

De colocar pessoas em nossas vidas com histórias diversas,
e nos fazer ser canal de Deus para essas vidas e ainda fazer
delas um canal para nós....Deus é mesmo maravilhoso!

Hoje quero te convidar a olhar em volta e perceber quão
preciosas são as vidas que Deus tem colocado ao seu lado,
e o quanto elas podem te abençoar se você permitir...

Se abrir seu coração para isso... Não faça da sua vida
uma estrada de mão única por onde muitos passam e
ninguém fica...

Que haja retribuição, e que cresçam no jardim da
sua vida árvores com raízes profundas, de amizades
sólidas nascidas em Deus.

Pastor Yousef Nadarkhani Pode ser executado sem Aviso prévio


O pastor evangélico iraniano, Yousef Nadarkhani, que foi condenado à morte por apostasia tem permanecido na prisão há vários meses aguardando o resultado de seu recurso de apelação, corre o perigo de ser executado sem aviso prévio.
De acordo com a Christian Solidarity Worldwide (CSW), seu advogado está tentando confirmar relatos de que as autoridades iranianas decidiram manter a pena de morte contra Nadarkhani.
A CSW está preocupada que Nadarkhani seja executado a qualquer momento sem aviso prévio e que as autoridades se limitam a anunciar mais tarde. Esta prática que a organização afirma é comum no Irã.
A sentença tem sido condenada pelo Reino Unido e pelos governos dos Estados Unidos, mas o pastor Nadarkhani, ganhou admiração na comunidade cristã internacional por causa de sua determinação de rejeitar o Islã, pelo menos quatro vezes. O pastor disse que não irá renunciar à sua fé em Jesus em troca de sua liberdade.
O Chefe do Executivo CSW, Mervyn Thomas, apelou à comunidade internacional para pressionar o governo iraniano a libertar o pastor Nadarkhani.
“A CSW está profundamente preocupada com a possibilidade muito real de que a sentença de morte contra Nadarkhani possa ser feito a qualquer momento, embora não exista base legal para este sentença”, disse ele.

“Instamos as autoridades iranianas a seguir o devido processo legal e garantir o respeito pelo direito à liberdade de religião.”
Ele também expressou sua preocupação com o pastor da uma igreja evangélica, Malayeri Farshid Fathi, que foi detido sem acusação no final de 2010 e mantido por mais de um ano e agora o seu julgamento foi realizado no início deste mês.
Thomas disse: “Instamos a comunidade internacional para pressionar o governo iraniano a libertar o pastor Nadarkhani, Farshid Fathi Malayeri e outros que estão injustamente presos ou ameaçados de execução após um processo judicial falho“.
“É inaceitável Farshid Fathi Malayeri, tenha sofrido mais de um ano na prisão aguardando a sua data de julgamento, incluindo um longo tempo em confinamento solitário.”
“A CSW também continua profundamente preocupado com a perseguição contínua e prisão de cristãos, os bahá’ís e outras minorias, as ações que infrinjam as convenções internacionais de que o Irã é signatário, incluindo o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos (PIDCP, para breve em Inglês), que garante liberdade de religião. ” Amados irmãos vamos continuar orando pelo nosso irmão Yousef, Deus é poderoso para fazer muito mais do pensamos ou sonhamos.O controle de tudo e de todos está nas mãos do todo poderoso.
Fonte: Portal Padom

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Whitney Houston




Alguns amigos da cantora Whitney Houston, contou a revista TMZ, que ela teve uma premonição de que logo morreria, ressaltando que ela “realmente queria ver Jesus”, e que um dia antes de sua morte, ela afirmou que tinha “a sensação de que o fim estava perto dela“.
De acordo com a revista, em seus últimos dia Whitney estava muito espiritual, citando a Bíblia, cantando hinos e participando de conversas intensas sobre Jesus Cristo e sobre a vida com seus amigos íntimos e familiares.
Na sexta-feira da semana passada, antes de sua morte, Whitney cantou: “Yes Jesus Loves Me” (Sim Jesus me ama) no clube noturno Tru em Hollywood, ela disse a um de seus amigos: “Estou indo ver Jesus… Eu quero ver Jesus. “
No dia seguinte, horas antes de sua morte, Whitney estava discutindo uma passagem da Bíblia envolvendo João Batista e Jesus… quando Houston abriu um grande sorriso e comentou: “Você sabe, ele é tão legal … Eu realmente quero ver Jesus.”
Outra fonte disse ao TMZ que Whitney tinha comentado aos seus amigos que “sentia que seu tempo estava chegando”… e que ela queria ter a certeza de dedicar louvor ao seu Senhor e Salvador, sempre que podia. Infelizmente a premonição de Whitney se tornou realidade.
De acordo com seus amigos, as passagens da Bíblia que ela estava meditando na manhã de sua morte era em Mateus 3:13 a 17, que faz referência ao batismo de Jesus.
Whitney Houston, sua última música antes de morrer: ‘Yes, Jesus Loves Me’ [Video]
Whitney Houston gravou ao lado de Mariah Carey o tema do filme “O Príncipe do Egito”, música que foi gravada no Brasil pela cantora Soraia Moraes.
Eu Creio no infinito amor e nas misericordias do nosso Deus. O amor de Deus é tão grande, e ele não quer que ninguém se perca, e ele conhece e sonda os nossos corações.Deus tem poder e proposito em salvar e resgatar uma alma, até mesmos nos seus ultimos segundos.
“I Look To You” (“Eu olho para Ti”):

Portal Padom

sábado, 11 de fevereiro de 2012

SEM TEMPO


Sem tempo.
Para retribuir.
Para agradecer.
Para reconhecer.
Para recordar.
Para abençoar.
Para homenagear.
Sem tempo para viver.
Sem tempo.
Para distribuir
flores a quem se ama,
chocolates a quem se gosta,
confissões a quem se afeiçoa,
"muito obrigado" para quem abençoa,
abraços para quem precisa,
afagos para quem não os banaliza.
Sem tempo para sorrir.
Sem tempo.
Para ver o que Deus faz.
Para tentar enumerar as bênçãos que Ele multiplica, consuetudinárias.
Para perceber Sua palavra em meio ao silêncio.
Para notar Seu cuidado atrás da coincidência.
Para arrancar das coisas comuns as Suas coisas realmente extraordinárias.
Para viver em paz.
Com tempo.
Para temer.
Para reclamar.
Para amaldiçoar a espécie humana.
Para ver apenas as sombras, nunca a luz que as projeta.
Para detestar o ponto preto na branca página.
Para celebrar que a vida é mesmo imperfeita.
Para ter certeza que quem errou jamais fará diferente.
Para achar que nada vale a pena.
Para gritar que Deus está ausente.
Com tempo para, aos poucos, morrer.

ISRAEL BELO DE AZEVEDO

Licensa pro Carnaval


Pela internet, recebi, de pessoa que não conheço, a seguinte solicitação: “Gostaria que me indicasse uma fonte que possa me esclarecer sobre significado (dito pernicioso pelos cristãos) a respeito do carnaval e sua história”.
Resolvi encarar eu mesmo o assunto, já que considero pernicioso o carnaval, que, de tão arraigado, impede que o ano comece antes do seu fim na quarta-feira.
Para começar, preciso devolver a pergunta: o que é o carnaval? Um feriado? Um período em que as pessoas dançam livremente nas ruas? Um tempo reservado para o espetáculo das escolas de samba? Um período em que o corpo é liberado de qualquer amarra na busca do prazer?
Em minha resposta, tomarei a Bíblia, mas não citarei nenhum texto específico.

1. Se o carnaval for um feriadão, nada tem em si de pernicioso. Pernas para o ar, que ninguém é de ferro. Um período para o descanso é sempre bem-vindo. Ao mesmo tempo, precisamos considerar o preço pago pelo país por este tipo de calendário que põe para fevereiro o ano que deveria começar um mês antes.

2. Se o carnaval for um tempo propício para a arte por meio dos desfiles das escolas de samba, não há como escapar à pergunta sobre quem está por trás do espetáculo.
O carnaval pode ser visto, portanto, como um espetáculo, nas pistas ou nas telas da televisão. Sem dúvida, é um espetáculo bonito, mesmo que repetitivo.
E o que se vê, pelo menos nos sambódromos do Rio de Janeiro e de São Paulo segundo as luzes da televisão?
Vêem-se cor, movimento e harmonia. A televisão mostra também corpos seminus ou, mesmo, nus, indicando que a liberdade de usar e exibir o corpo está ali presente também numa forma de licença.
Não se vê quem patrocina a festa toda, bastante cara pelo seu gigantismo desde o seu preparo. Parte do dinheiro vem do poder público (municipal ou estadual), em sua estratégia de apoiar as manifestações culturais ou de dar circo ao povo, dependendo do ângulo de visão; parte vem dos ingressos (que voluntariamente as pessoas pagam, mesmo que caros) e parte vem de outro tipo de fonte, associada a práticas postas fora da lei por perniciosas.
Não se pode ver o espetáculo dos dias de carnaval sem o sistema que o precede. Os ensaios são espaços de deificação do corpo, como nos festejos de rua. São também tempos de licença para práticas não propriamente culturalmente ricas.

3. Se o carnaval for um período em que o corpo está liberado para o frenesi, com relacionamentos fugazes que acabam na quarta-feira, deve ser pensado em suas conseqüências, incluindo-se aí as danças ao ar-livre (como em algumas capitais do nordeste) que duram dias e noites sem parar.
Aprendemos na Bíblia que somos o nosso corpo. Não temos um corpo. Nós somos o que o nosso corpo faz. A teologia bíblica do prazer, portanto, inclui a dimensão de que devemos prestar contas do que somos. Entendemos que somos criações de Deus. Nosso prazer deve ser desenvolvido em meio à verdade. O prazer que lança mão da mentira para se realizar não agrada a Deus, e um cristão vive primeiro para agradar a Deus desfrutando o que vida tem de bom e santo.

Não agrada a Deus quem se diverte sem pensar nas circunstâncias. Não agrada a Deus quem se diverte pelas mãos do álcool ou da droga. Não agrada a Deus quem vive como se o mundo fosse acabar amanhã. Não agrada a Deus quem busca o sexo fácil, mesmo que consentido, com muito prazer e nenhum amor.
(Uma vez me vi numa cidade toda carnavalizada. Minha pergunta, enquanto me desviava de pessoas incômodas, foi: “existiria carnaval sem álcool?” Todas as pessoas tinham copos de bebidas alcoólicas na mão. Que festa é esta?)
Em nenhum momento na Bíblia, pela qual procuramos pautar (falhando e acertando, acertando e falhando) nossas vidas, temos licença para pecar. Não há intervalos para o nosso compromisso de procurar sempre fazer o que é justo e correto.

***
Uma outra resposta, em direção distinta, da recusa cristã ao carnaval tem a ver como a nossa estratégia da diferenciação. O que entusiasma a tantas pessoas não entusiasma necessariamente os cristãos, que são (ou deveriam ser) críticos da sociedade.
A atitude dos cristãos com relação a práticas social e juridicamente legitimadas (como o uso do cigarro e do álcool) nasce do seu desejo de se diferenciar e de sua convicção de que são práticas nocivas ao corpo, tanto do indivíduo quanto da comunidade. Todo o prazer tem o seu preço. Há prazeres cujo preço é alto demais. O do carnaval é um deles. Por isso, precisamos ficar de fora.

Fonte: Prazer da Palavra /Expresso Mineiro

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O Casulo


Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo; um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer seu corpo passar através daquele pequeno buraco.
Então, parecia que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela fora o mais longe que podia, e não conseguia ir além.
O homem então decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.
O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abririam e esticariam para serem capazes de suportar o corpo que iria se firmar. Nada aconteceu!
Na verdade, a borboleta passou o restante de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar. O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendeu, era que o casulo apertado, o esforço necessário para a borboleta passar por aquela pequena abertura era o modo que a natureza fazia o fluido do corpo da borboleta ir para as suas asas, de maneira que ela estaria pronto para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

Extraído do livro: Tire seus sonhos da gaveta, pág. 72.

Novembro Azul!!